quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Por dentro de nós mesmos.

Vendo TV, lendo as últimas notícias dos jornais percebi o quanto o mundo está diferente.
Diante de tudo que vem com evolução, penso eu que o mais cresceu em nós foi o medo.
Temos medo de tudo um pouco e, aquele que disser que não que levante a mão.
Somos comuns e iguais diante da visão de Deus. Pode ser que aqui onde vivemos, esse lugar que chamamos de terra realmente as coisas sejam diferentes. Existem escalas sociais, as chamadas elites que separam os povos em raças, cor e óbvio na questão financeira. E no fim nos unimos dentro dos nossos medos, que são todos iguais. Se baseando na vida quem nunca acordou muito feliz, ou triste. Pra baixo ou com vontade de gritar pra todos o quanto é feliz e satisfeito. Quem nunca se sentiu rejeitado, prestigiado, especial ou até mesmo excluído. Particularmente nunca tive a oportunidade de viajar de avião, mesmo alguns dizendo que é o método mais seguro de viajem eu tenho pavor de ver aquele veiculo com asas..E quem não tem? Claro existem os que acham comum, normal utilizar, mas e quem não sente medo quando vê esses milhares de acidentes envolvendo essa tal maquina? Quem nunca sentiu medo dentro de um carro quando vê outro vindo na sua direção em alta velocidade. Mesmo que tenha confiança total no seu amigo motorista, quem não tem medo que aconteça algo com vocês dentro do veículo ? Isso me leva a raciocinar que somos escravos do padrão do momento. Somos embalagens e esquecemos de viver olhando dentro de nós e só olhamos nossa embalagem e assim seguimos nossas vidas nos tornando pequenos e ainda mais pobres de espírito. E ainda pensamos que somos superiores ou bons demais diante do próximo. Podemos analisar bem a questão. Que fique claro que não é nenhuma maldade se formos olhar de modo geral. O piloto Felipe Massa que sofreu esse acidente, ele é único, o Brasil para pra rezar e pedir por saúde à ele, claro é certo, mas ele é o único que se acidenta trabalhando? Quantas pessoas nesse Brasil não estão nessa situação e nem nos damos conta. E pra que queremos saber, vivemos numa sociedade separatista cada qual com seu problema, mas quando se trata de alguma embalagem que aparece na tal TV, se torna mais importante pois aquela embalagem é famosa...Isso tudo pra que no fim de tudo, todos vamos nos conformar com a morte que é comum e, infelizmente é o destino de todos nós. Ou seja o ser humano que viver obrigado, que fique claro é uma obrigação viver de aparência , fica cego pro teu interior e vive olhando apenas o lado de fora. Nisso percebemos que as diferenças e preconceitos estão realmente do lado de fora, pois por dentro no fim das contas somos iguais...E o mais triste é que a gente teima em perceber isso só quando a gente morre.

As vezes

Sou feliz
Sou triste
Sou forte
Sou fraco
Tenho medo
Tenho coragem
Persisto
Desisto
Amo
Odeio
Choro
Sorrio
Quero
Não quero
Vou
Não vou.

E quem não sente?

Tristeza do Palhaço.

Mesmo fazendo sorrir, ele descobriu que já não tem mais graça..

Laerte-se

Há muito já havia visto a divulgação do documentário da Laerte. Num primeiro instante não me chamou muito atenção por compreender o conte...