quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Musica And Dia da Consciência.


Já faz tempo que não falo sobre música aqui...Na realidade ando desligado sobre as novidades, Internet lerda é osso. Desisto fácil de ficar pesquisando, buscando novidades. Mas com o retorno da rádio, tudo fica mais claro, eu amo música hehehe. É, depois de 3 longos meses, a velha 87Fm está de volta, após aquele incêndio terrível. Levantamos a cabeça e fizemos como prometido, a rádio está pronta pra receber todas as suas atrações diárias, trazendo o melhor playlist musical pra você sintonizar e curtir numa boa. Nesse período muita música saiu, muitos sucessos se foram, e alguns insistem em não ir embora. É o caso do BEP ou Black Eyed Peas. I Gotta Felling, permanece nas ondas do rádio e nas melhores casas noturnas, se tornou um grande sucesso do BEP que não vacila quando o assunto é se manter no topo. Na música Nacional por incrível que pareça não ouvi nada de relevante. Bom, para não ser injusto, o novo som o Nx Zero é da hora, vai tocar muitooo. O Brasil tenta, tenta, e vai morrer nas suas raízes. Sertanejo, Pagode e Axé, na minha opinião os géneros dominantes da música no País. Esses dias o Exaltasamba, que não me canso de ouvir, estava no Pânico da Jovem Pan, vai vendo. Aclamado pelos integrantes do programa como melhor grupo de pagode do Brasil. Ou seja o futuro é esse. Menos músicas internacionais, e daqui a pouco é o sertanejão com axé e pagode nos rádios Brasileiros. De novo tenho ouvido músicas variadas. Muito bom, muito gostoso. O novo CD do Brian Mcknight (Evolution Of A Man) é simplesmente sensacional. Canta como um anjo, voz doce, bem colocada afinadíssimo. Pra quem é chegado num som bem gostoso pra ouvir à dois, indico a faixa Never Say Goodbye..Também o novo disco do Boys II Men (Love) é fantástico, bom, pelo titulo já da pra notar do que se trata. Posso dizer sem qualquer exagero, são simplesmente a nata da música negra Americana. Desse disco indico uma música que é regravação de um clássico do Chicago - If You Leave Me Now, nas vozes do Boys II Men nem preciso adicionar comentários, apenas ouça..


Mudando de assunto, utilizando o fato de citar a música negra Americana. Na sexta é o famoso dia da Consciência Negra. Já pude ver alguns debates na Tv sobre o assunto, interessante e importante. Mas afinal o que discutir nesse dia 20? Juro que ainda não saquei o propósito desse dia. Sem maldade ou "preconceito" mas no meu ver, parece que todos os anos é tudo igual, os mesmos papos e não vejo avanço nessa tal luta. E outra, a luta é pra que? Qual a causa? Bom, se formos avaliar deve ser uma luta pela igualdade dos povos. Pois igualdade de raças que não é, pois temos apenas uma raça que é humana. Como disse a Alcione, escapo de branco é preto sem choro hahahahaha, muito bem colocado por ela. Enquanto não houver a mistura do povo, de nada vai adiantar esse manifesto do dia 20 e olha que o Brasil não para. É, da pra notar que tem gente que pouco tá ligando pra esse dia. Na minha humilde opinião o erro já está no dia 20. Passamos 80% do ano falando abrobrinha, discutindo assuntos sem fundamentos pra chegar no dia 20 de Novembro para chamarmos a atenção para essa causa. Dia da Consciência é todo dia. O povo tem que ser educado diariamente. Por isso temos casos espalhados pelo Brasil, de gente que humilha e desrespeita seu semelhante por focar a cor da pele, como se isso fosse importante, e houvesse alguma diferença. Enquanto o Brasil tiver essa mentalidade continuaremos a ser o mesmo povo mesquinho, pobre, elitista e atrasado, como sempre.


Bom, é isso.


P.S: Aprendemos a voar como os pássaros, a nadar como os peixes; mas não aprendemos a simples arte de vivermos junto como irmãos.


Martin Luther King.


P.S 2: Até quando seremos egoístas, e não aceitaremos o fato de que somos iguais?


P.S 3: A cada dia aprendo novas lições, e ainda assim teimo em errar. Só você senhor, sabe do quanto tenho errado.


P.S 4: Não basta ser bom, tem que ser melhor. Não melhor que o próximo, mas sim melhor que suas próprias expectativas.


Devemos ter consciência que somos iguais não apenas dia 20, mas sim todos os dias.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Reflexões sobre a vida.

Aqui estou mais uma noite ou madrugada, sem sono, tentando parar de pensar em todos os detalhes sobre a vida, querendo pegar no sono, e nada. A cada momento que penso como vivo, em como levamos nossa vida, me decepciono como ser humano. Me vejo muito introspectivo, ao invés de deixar rolar, eu fico buscando porque pra tudo a minha volta. Me preocupo do por que somos tão individualistas com o passar do tempo. E ao mesmo tempo, me sinto comum. Comum daqueles que olham as coisas com tanta confiança que me levo a pensar que sou bobo. Por acreditar, por ter aquilo que poucos dizem ter. Esperança, tenho esperança sobre várias coisas. Penso que o mundo vai mudar (para melhor espero), ou pode ser melhor, não que não haja possibilidade, mas se caminharmos diante da atualidade, nem sei dizer o que vai ser de nós. Sou do tipo que anda pela rua, observando cada detalhe, como as pessoas são, como elas se comportam, o que elas pensam sobre a vida. E poucas vezes vi alguém fazer reflexão sobre a vida. Aliás, quem está preocupado com isso afinal. Imagino que viver é bem simples sob minha visão. Nascemos e somos ingénuos por um bom período. Chegamos na adolescência repletos de curiosidade sobre a vida. Ai começamos o que chamamos de viver nesse tempo. Balada, Internet, celular, ficar, bebidas, e claro existem os diferentes, usam suas drogas enfim. Para não ser injusto, a bebida tbm é uma droga, mas não vamos levar em consideração diante de uma droga mais complicada. Depois disso, começamos a querer nos tornarmos adultos. Chegam as responsabilidades, trabalhamos, estudamos, e vamos realizar o sonho antigo. Qual? Claro o primeiro carro, inesquecível....Depois disso, voltamos para as baladas, só que agora de carro, e um pouco mais maduro, experiente. Depois disso, arrumamos a namorada, pode ser que aquela pode vir a ser a sua futura, talvez. Mas não, você ainda não curtiu o suficiente, volta pra balada, "farreia" até o dia que realmente encontrar uma mulher que lhe faça realmente sentir diferente, que tenha diferença das demais.. Que lhe de confiança, que seja aquilo que você sonha em ter ao teu lado. Ai o foco muda, pensar em casamento, ai é hora de pensar em adquirir um imóvel. Depois disso, talvez case, e depois de casar é bem simples. Durante alguns anos, tudo vai maravilhosamente bem. Pós período de amor e paz, as diferenças aparecem, pode ser pública ou particular, mas sempre tem, afinal nenhum casal é perfeito. Depois o maridão vai curtir aquele futebol com os "amigos". Nem sempre são na real, mas ali é onde eles se encontram e pensam: (sem maldade) "Estou a beira da loucura dentro de casa, vou me matar ou matar minha mulher".. Depois disso, existem 2 opções. Ou você realmente percebe que tem uma companheira do teu lado, ou aceita viver no inferno até a morte. Com a idade chegando, percebe-se coisas que quando mais novo (jovem) não percebia. Percebe que, cumplicidade, companheirismo, sinceridade e compaixão, são fundamentais enquanto vivo. Começa a notar que viver na real, não é apenas sair pra balada, ter um carro do ano, sair com várias mulheres ou ser o homem mais rico do mundo. Mas sim ser aquele que soube e sabe aproveitar cada respiro de vida, ter boas e gostosas histórias pra contar, sobre aventuras, viagens, pessoas especiais. Para que no fim, onde realmente tenho em mim que sentimos que estamos a ponto de partir, sermos introspectivos o bastante pra dizermos. Valeu a pena.

Bom, é isso.

Sem "ps" hoje !!!!!! (:>

Laerte-se

Há muito já havia visto a divulgação do documentário da Laerte. Num primeiro instante não me chamou muito atenção por compreender o conte...