quinta-feira, 20 de maio de 2010

Mulheres

Falar de mulher é difícil demais, mas, posso falar sobre minhas percepções sobre elas. Se baseando no meu relacionamento com as mesmas, sempre.
Existem os mais variados tipos de mulher, com relação aos homens, posso dizer que ela tem quase razão quando dizem que somos todos iguais, mas nem sempre. Mulher no seu total deseja. Carinho, atenção, amor, ser entendida, bem tratada e outras coisas mais. Se for enumerar tudo que as mulheres desejam, eu escrevo um livro (hahaha piadinha, brincadeira). Se voltarmos um pouco na história, o comportamento das mulheres seguia uma mesma linha por conta da educação da época. Aquela coisa mais séria, quando se pensava em relacionamento já juntava o casamento, pra realmente falar minha mulher, tinha casar mesmo. Depois mudou um pouco, já podia namorar, mais com único e exclusivo propósito de casar. Depois apareceu o namoro, antes de casar, tinha que namorar, casar sem namorar era loucura. Depois inventaram o “ficar”, mais não com um só, tinha que experimentar alguns pra saber de fato qual era o seu numero (melhor). Assim o tempo foi passando, outras coisas foram aparecendo e o mundo se tornou isso que é hoje. As mulheres atuais, são mais ousadas, digo às que são dessa geração. Na realidade, quero deixar bem claro que não estou menosprezando nenhuma mulher, apenas relatando o que ando observando por ai. Vamos destacar alguns tipos de mulher.

Quietinhas: Essas são aquelas que realmente fazem jus ao reconhecimento. Quase nunca saem de casa, e quando saem, sempre estão na companhia do Pai ou da Mãe. Nunca estão sozinhas, para evitar a abordagem dos que estão esperando uma chance pra chegar.

Despreocupadas: Essas tem liberdade, saem pra se divertir, nem sempre estão querem ficar ou paquerar, andam em grupos, e só dão risada (aliás, pq tanta risada em?). São daquelas que se rolar, rolou, se não, não, sem problemas.

Crianças: Essas são clássicas, meninas entre 13, 14,15, ou até menos, que se acham adultas. Estão sempre com “tititi”, que fizeram isso, aquilo, que fulano é gato e o outro é simpático. Quase sempre desobedecem a seus Pais, por se acharem adultas o bastante pra responder pelos seus atos. Lembre-se sempre do estatuto da ECA.

Potências: Essas estão nos grupos mais interessantes, essas são aquelas que sabem de fato seu potencial, nem precisam ficar se exibindo para os outros. Ela sabe que será notada facilmente. Geralmente sai sabendo que só volta sozinha se realmente desejar.

Sisi: Ah, “Si sentindo” Acha que nasceu uma rainha. Geralmente quer aparecer mais do que suas amigas. Essa nunca se arruma, se enfeita, e quem gosta de enfeite é bolo.

Patricinhas: Todo mundo já conhece, é sempre chatinha, nunca aceita nada, nunca tá a fim de nada. Os papos sempre são; Viagem comprou isso, aquilo vou “em tal lugar”, e acredite você nunca vai poder ir nesse lugar, porque só ela pode. Saiu de casa pra que?

Oferecidas: Infelizmente essas estão no grupo das piores. Ficam no pé a noite toda quando querem, não estão nem aí, querem a todo custo. Quando bebe então, a única solução é abandonar a balada. Quase sempre saem da balada com qualquer um, afinal, elas querem contar no outro dia que fizeram alguma coisa.

Apaixonadas: Essas nasceram pra namorar, nunca estão solteiras, se larga hoje, semana que vem já estão namorando novamente. Nasceram pra amar e serem amadas.

Corretinhas: Essas são aquelas que todos querem, geralmente tem um histórico de vida que chama ainda mais atenção. Nunca chega a casa fora do horário, trabalho. Casa, casa. Trabalho. Geralmente quando saem, é pra tomar um sorvete e ver o movimento, nunca passam a madrugada na rua.

Baladeiras: Essas saem mesmo pra curtir, gostam mais da noite do que do dia. Querem baladas, balada e balada. Se encontrar uma dessas, agarre e segure você pode ir longe.

Caçadoras: Essas saem pra procurar homem, antes o homem que chegava mais elas tem o prazer da caça. Chegam à balada e marcam seu alvo, e trabalham no seu objetivo, utilizando todo seu charme e sensualidade. Tá, nem sempre funciona, mas o que vale é tentar.

Coringa: Essa particularmente é a que mais gosto. Geralmente composto por mulheres que realmente são aquilo que não parecem ser. Aquelas caladas que nunca conversam com você, nunca te da moral, e numa ocasião, consegue conquistar e descobre que ela é muito mais do que você imaginava. Ou o inverso também, pode parecer legal, e ser um poço de chatice. Tem carinha de “santinha” mais só carinha mesmo... (hahaha essa é a melhor na certeza).

Enfim, existem vários tipos de mulheres. O importante mesmo é lembrar que, quanto à mulher e homem, se tornam através do julgamento de ambos aquilo que eles mesmo constroem, quero dizer, nós construímos. Minha opinião é que a mulherada da nova geração tá deixando a peteca cair. Mulher tem que ser conquistada, encontrada, paquerada, e acima de tudo, ser SELETIVA, mulher não sai ou fica com qualquer um por apenas um acaso. Nada de ficar correndo e sofrendo por causa de homem. Pura bobagem, quanto mais você chora, o homem gosta. Porque é gostoso olhar e pensar: Sei que você não vive sem mim. Mais será que vivemos sem vocês?


P.S: Desculpem os erros, estou caindo de sono...

P.S: O Download terminou...

P.S: Vamos lá tricolor, estamos pertooo...

Agora é caminha mesmo, fuiii!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Manipulação da Opinião.... Cont....

Quando iniciei esse blog, juro que pensei que seria uma experiência solitária, escrever sobre assuntos que acredito serem importantes, pra depois de algum tempo, eu possa olhar e analisar as mudanças ocorridas em mim desde então. O legal, não é só entrar e ver que alguém leu e deixou uma mensagem, mas, que entraram no clima do assunto. Isso é importante, ainda mais quando vem de pessoas que dispensam apresentações. Recebi uma mensagem de alguém que admiro muitoooooooo.....não é Tati?

Sobre o texto, Manipulação da Opinião, ela manifestou sua visão sobre:


Acho complicado falar sobre manipulação midiática. Há uma forte influencia sim mas as interpretações e o que nos é apreendido do que é veiculado na mídia parte pelo pressuposto de que cada um usa suas próprias experiências culturais para interpretar e apreender cada informação. Claro que não podemos esquecer de teorias como agenda setting e espiral do silêncio. Mas a pergunta que faço aqui é: se eu compro o jornal, se eu ligo a tv num certo canal, se eu ouço uma determinada estação eu estou me colocando em predisposição de manipulação? Falar que a mídia manipula é nos colocar como meros receptores incapazes de um posicionamento crítico frente ao que nos é informado. Seguir ou não a moda é resultado de inúmeros fatores: meio cultural, idade, experiências, tribos... enfim... culpar a mídia e afirmar que quem segue moda é um ser aculturado é simplificar demais os meandros e processos culturais que envolvem a opinião pública e a própria postura do indivíduo dentro dos vários grupos sociais nos quais está inserido
.



Lendo seu comentário, me fez lembrar das aulas que tive sobre influencia da mídia na sociedade. Você está correta na sua colocação, quando já temos um certo nível cultural fica difícil ser manipulado. Hoje, afirmo que realmente a TV passa uma falsa realidade, não digo 100%, sem generalizar, mas infelizmente acontece. Onde está o conteúdo cultural da TV hoje? A minha bronca com a TV é a questão de saber qual a posição do povo com relação ao que é exposto, o que vemos é gente matando gente, políticos corruptos, banalização dos princípios morais do ser humano, expondo seus corpos nus e toda sua intimidade como se fosse comum. Vendo tudo isso, o que estamos formando? Se diz muito em transformar um mundo melhor para nossos filhos. Aí, alguém disse que tinha que ser ao contrário. Que tal transformamos nossos filhos para que eles construam um mundo melhor? Posso citar um exemplo bem simples, no dia 13 de Maio completou-se 122 anos da lei Áurea(Abolição dos Escravos), será que a sociedade sabe o que significa isso? Será que os futuros, que iram ter a missão de tonar o mundo melhor, sabem que ainda existem casos de escravidão dentro desse País? Não estou aqui pra detonar e muito menos jogar a culpa na mídia, que acredito tem um papel importante e determinante em muitos casos por ter voz ativa. A maior parcela de culpa é da própria sociedade, e ao mesmo tempo me pego pensando; Como culpar também uma sociedade que infelizmente não tem o minimo de cultura (educação... educação) pra que se tornem mais informados (sabendo filtrar o que fato é importante), e tenham sua própria visão e se tornem mais críticos e saibam utilizar o controle remoto, ou apenas saber olhar utilizando o bom senso, analisar e chegar a conclusão. Isso não tem conteúdo, isso não adiciona nada pra minha vida.

Tati, obrigado viu..

Já pensou se tivessemos pessoas dispostas a levar esse debate para o povo, nem a escola discute mais, são educados na base do passa matéria, prova e vão pra casa. Apenas isso, assim o mundo vai melhorar muito, não vai?


P.S: Enquanto isso, vamos aguentando as bundas e o fútil...hahahaha...

Manipulação da Opinião

Fala gente, já tem alguns dias que apareço por aqui, não é. Realmente, meus dias estão sendo complicados e corridos, mas confesso que é assim que eu gosto. Bom, vamos ao que interessa..

Meu questionamento é, quantas vezes você já se sentiu sendo manipulado? Exitem várias formas de manipulação, mas digo aquela que realmente faz acreditar que aquilo, é ou não ruim, que deve ou não ser feito, sem mesmo perguntar a sua opinião sobre, simplesmente plantam aquilo dentro da sua mente, e fazem com que você se esqueça dos teus próprios princípios e acredite em algo que pra ti nunca fez sentido. Pra isso, se faz necessário utilizar exemplos. Vamos usar um exemplo simples, um determinado produto. Pense, qual o valor de um produto que você nunca usou e nem ouviu falar nas mãos de alguém que você conhece da TV? Se nunca reparou, tente observar, sempre nos levam acreditar que aquela determinada pessoa escolhida por ser "influente", "utiliza" o tal produto e por ser assim, o produto mesmo não sendo lá aquela coisa, ganha prestígio de quem o "utiliza". Ou seja, mesmo que o produto não tenha qualidade nenhuma, por ser "utilizado" por um "influente", somos forçados a acreditar que aquilo é bom, ótimo e temos que comprar porque o fulano usa. Lógico que surge aquele pensamento: Mais eu não sou manipulado dessa maneira, tá, você pode até achar que não, mais acontece... Atualmente, o que vejo são valores invertidos, princípios deixados de lado, não acreditamos mais naquilo que realmente somos e vivemos nos baseando na vida dos outros. Hoje, vivemos num mundo modista, tudo que está em evidência no momento, todos "devem" seguir. Modinha barata de gente sem moral própria e personalidade. O fulano faz um penteado, você também tem que fazer, o outro diz que não gostou de algo ou de um lugar, você o acompanha sem mesmo saber os motivos pelos quais ele deixou de gostar ou frequentar um determinado ambiente. Existem muitas pessoas que deixaram de lado sua maneira e estilo de viver, pra tentar parecer ou simplesmente dentro do vazio da sua própria existência, se esquecem do quem eu realmente sou, para ser aquilo que os outros querem que você seja. Assim tornado você mais um dentro do grupo dos manipulados, daqueles que ouvem: Isso é bom e você vai comprar ou fazer, e você vai seguir as ordens, porque já é alienado e segue as regras de quem envenenou sua mente, e te fez acreditar que você não é capaz de ser você mesmo, e depende da opinião dos outros pra ser ou fazer alguma coisa. Temos hoje, várias ferramentas de comunicação nessa nova era digital, informação rápida e fácil, mas devemos antes de tudo, fazer uma analise e ter discernimento, senso critico para realmente selecionar o que de fato é interessante e importante consumir. Se você não é capaz de acreditar nos teus próprios princípios, defender aquilo que você acredita, simplesmente você não representa nada sobre você mesmo.

Pense nisso.

Bom, é isso.

Blog Music

Veja bem, tudo vai dar certo É só acreditar em quem Conhece o fim de perto Pra discenir cores vibrantes E enxergar o que não vi...