quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Breve tratado sobre Amizade

Parece tão simples falar sobre isso, não é, mas não é nada fácil. Com tempo descobrimos que amizade está além de alguns gestos, sendo bem diferente daquilo que acreditamos. Um dos grandes segredos é o tempo, transformador. Particularmente tenho tido várias experiências interessantes em relação à amizade. Amizade é única e exclusivamente importantíssima, mas ai você diz, óbvio. Mas, quantos amigos você tem? Quem são seus amigos, tem certeza de que são amigos? São perguntas fáceis cujas respostas são um pouco complicadas, pois, esse processo de sentimento, aceitação, reciprocidade se passa dentro de nós. E mesmo que a ciência tente explicar, é inexplicável o que se passa dentro de nós quando gostamos verdadeiramente de alguém. Quando encontramos dizemos pra nós mesmos, esse é “um puta” amigo. Certa vez ouvindo uma homenagem pra um senhor transmitida pelo rádio, tive uma aula sobre amizade. Ao receber a palavra, o homenageado começou seu discurso falando sobre amizade. Imagine um senhor com seus lá 80 anos falando sobre amizade. Ele disse: “Hoje estou emocionado não apenas por essa homenagem tão bonita, como também pelos meus amigos, nada nessa vida é tão importante quanto ter amigos, mas amigos de verdade. Meu Pai, que Deus o tenha já dizia; Meu filho, seja lá o que você se tornar nessa vida, tenha amigos, mas lembre-se que, amigos são pouquíssimos, valorize-os.” Ele estava falando sobre seus amigos que saíram de vários estados do Brasil pra acompanhar aquela homenagem, pois sabiam quanto o momento era especial para “esse” amigo. Realmente, do que adiantara receber uma homenagem e não tem um amigo do teu lado? Depois daquele dia, minha ótica sobre amizade tinha ganhado um novo foco, mais um aprendizado que jamais me esqueceria. Recentemente tenho visto pouca TV, nessas poucas oportunidades acabei assistindo uma entrevista por intermédio de uma informação da internet que teria uma entrevista com kajuru, aquele cara marrento que fala o que pensa e não tem papas na língua. Gosto desse estilo quebra regras. Depois da entrevista, esse cara veio mais uma fez somar, fortalecer meu pensamento sobre amizade. Dando um lindo depoimento sobre seus amigos, sobre o que fizeram para ajuda-lo no momento mais difícil de sua vida. Depois da entrevista pensei; pô, quem são meus amigos o que tenho feito pra eles, o que eles tem feito por mim? O que é amizade, aliás, o que eu estou fazendo? Confesso que sou muito ingênuo (era) em relação à amizade, acreditei que amizade podia ser construída facilmente, e não é bem assim. Nem todos são amigos nem todos querem sua amizade. Vivi parte da minha vida querendo agradar todos mesmo sabendo que nem Jesus agradou, mantive uma postura que hoje posso afirmar com tranquilidade, patética. Talvez alguém pense, é assim mesmo, não tem nada disso, você fez sua parte. Se partirmos do pensamento reciproco é patético da minha parte querer o que o outro não deseja. Mas, em contra partida, eu tenho amigos, que nem sei se falo amigos, gosto de falar irmãos, pois essa amizade se tornou irmandade. Há esses sim, eu devo muito respeito e admiração, pois jamais saíram do meu lado um só segundo, sempre fazendo papel de amigo, pois amigo não é o da festinha, que vai pra escola ou aquele que manda recadinho no Orkut. Como diria o Cap. Nascimento, amizade companheiro, é outra coisa. MV Bill disse uma frase numa de suas musicas que levarei eternamente; “Antes de morrer, talvez você entenda”. Confesso que de uns tempos pra cá fiquei chateado com vários acontecimentos nesse “mundo” amizade, recebi vários conselhos de pessoas que já tinham passado por isso, inclusive uma pessoal muito especial que mora longe, mas sempre me aconselha. Ela foi justa e amiga, simplesmente disse; João, você está sendo infantil, você deseja que as pessoas sejam como você é com elas, acorda que nem tudo é do seu jeito e mais importante, nem tudo é amizade, só passagem, um lance. Fiquei assustado com o depoimento, ela realmente abriu meus olhos e me fez olhar esse universo de outra maneira. Hoje, dia 1 de Set de 2010 amanheceu diferente, pois ontem me peguei pensando, eu me esforço tanto para ser um amigo razoável que me esqueço da reciprocidade. De agora em diante, eu não vou me comportar dessa maneira, serei diferente, melhor pra mim como também para os outros. Primeira lição, parar de cobrar amizade, afinal quem é sabe o que é o quão é importante sabe o que fazer, e sabe qual é sua missão. Fico feliz que muitos não me conheçam porque de agora em diante as coisas serão diferentes. Talvez o grande barato da vida seja se importar, valorizar quem merece e principalmente quem faz por você também.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

O Mau uso da Internet


Novamente venho falar desse assunto tão pouco explorado pela mídia que, sempre explora assuntos de momento. Vendo um vídeo hoje, percebi o quanto faz necessário com máxima urgência de uma moderação no uso da internet, o uso desenfreado está criando um ideal de que na rede tudo pode. Acredito que diante do que vem acontecendo não é bem assim. No vídeo, várias garotas (todas com menos de 18) fazem uma transmissão na famosa twicam (pra quem não sabe é um serviço de vídeo em tempo real oferecido pelo twitter), ou seja, você abre o vídeo e transmite pra quem quiser assistir. Será que só eu vejo que está tudo errado? Bom, nessa tal transmissão elas exibem seus corpos para seu público (masculino, claro) sem pudor algum, com direito a dança sensual e tudo. Eis que, em determinando momento toca o cel. de uma das garotas com a notícia de que a mãe de uma delas está assistindo a transmissão. Gera um grande desespero na menina ao ser informada ali mesmo ao vivo na transmissão “Tua mãe está vendo tudo que vocês estão fazendo ai, desliga isso”. Isso me fez refletir acerca do limite que deve existir, mas ainda não existe para o uso da internet. Não proponho nenhum tipo de censura à internet, mas vejo uma maneira de criar filtros para uso moderado da mesma. Hoje, a internet realmente é um abraço no infinito, tudo que precisamos encontramos muito fácil, tudo de graça. Com um simples click você vai onde você deseja vê o que bem entender sem ninguém te cobrar nada. O único filtro que existe é a idade, ai você entra faz um cadastro com dados falsos e está dentro. Como disse num post passado, à internet ainda é uma criança em desenvolvimento, há muito a se fazer para sua melhoria. Enquanto ninguém discute isso estamos assistindo no horário eleitoral, promessas em relação à banda larga sendo que nem usar internet o povo sabe ainda. Primeiro seria necessário informar o povo que nem tudo vai pra internet, jogamos tudo, nossas vidas, intimidades como se isso fosse importante. O inicio das redes sociais envenenou a todos nós com essa interatividade na qual a ideia central é expor nosso cotidiano, nosso dia a dia. Isso mudou completamente de lá pra cá, e muitos de nós não percebeu. Se entrar no Orkut, numa breve pesquisa você descobre endereços, rotinas, nome de escolas e locais frequentados por milhares de pessoas. Nem é preciso dizer que isso facilita muito para criminalidade, expor objetos de valor, exp.: carros, relógios e etc. É necessário orientar sobre os perigos que existem dentro da internet antes de por em funcionamento a tal inclusão digital. Mesmo porque o uso tem que ser moderadíssimo em relação a tempo, tem gente que fica na frente do computador o dia todo e acha comum. Eu tive experiência própria dos malefícios de ficar “viciado” nisso, a ponto de acordar às 7 da manhã e navegar até às 20hr com sede de quero mais. Não esquecendo que em vários países existem clinicas para viciados em internet, não sei dizer se no Brasil existe, a questão é que vira motivo para tratamento. Um País que ainda está em pleno processo de desenvolvimento no incentivo a leitura, com planos de inserir o povo humilde ou pobre seja como preferir na era digital. Pensando bem, isso pode causar problemas invés de resolver. Por falta de orientação vemos esse uso descomunal se transformar em dor de cabeça pra milhares de Pais. O uso desorientado da internet causa vícios na escrita para quem está no inicio escolar, leva a criança a se interessar mais pelo computador do que pelas lições de casa, ou seja, transforma a mente não só da criança como a de um adulto também se não souber controlar. Ha exemplo disso, temos o twitter quem vem crescendo de forma monstruosa no mundo todo. Qualquer assunto que está na TV vai pro twitter, milhares de pessoas acessam suas contas e ficam horas repetindo a mesma frase, com simples desejo de torna-la mais visualizada pelos demais usuários do serviço em nível mundial. Com isso da pra ter uma ideia do quanto é assustador, incluindo pessoas que não tem a mínima noção dos perigos, vamos formar um exército de zumbis digitais. Pessoas que vão se conectar com mesmo prazer de usar uma droga, pode ser que não seja tão preocupante assim, mas que deve ter um filtro, e principalmente dos Pais deve ter.

Laerte-se

Há muito já havia visto a divulgação do documentário da Laerte. Num primeiro instante não me chamou muito atenção por compreender o conte...