quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Desafiando Gigantes

Dentre os milhares de filmes que tenho, encontrei esse ontem e acabei assistindo pelo título.
Filme fantástico, nos mostra algo supreendente.




ASSISTA

A Arte de Aprender a Aprender

Acredito que a arte de aprender a aprender consiste em conseguirmos alcançar um estágio de consciência superior, alcançando nível de entendimento ou, em poucas palavras ser mais do que apenas isso. É o simples olhar da vida através do melhor da vida. Isso não é tão simples, claro. Quantas vezes questionou afinal o que é a vida? Somos seres treinados desde o inicio de nossas vidas, viemos praticamente com o manual pronto. Basta notar como vivemos, somos simplesmente limitados. Viver para maioria: Ser criança, adolescente, adulto, ter responsabilidades, trabalhar, ganhar muito dinheiro e esperar a morte. Viver é bem mais do que isso, viver é bem mais que acordar e seguir uma cartinha, uma rotinha. Viver é quebrar as regras, claro que sim. Viver plenamente e sentir tesão literalmente naquilo que se faz, afinal não sabemos à hora e nem o lugar, podemos deixar de existir a qualquer instante. Viver é mais do que aprender, é querer aprender. Aliás, o que aprendeu de útil nos últimos tempos? Tem sido útil, feito algo que se sentiu útil? A maioria de nós foi educada nesse formato, sinceramente somos mal-educados, mesmo que não queiramos a maioria sempre quer algo em troca quando o assunto é ser útil. Hoje no trabalho aconteceu um fato bem interessante. Anunciamos o desaparecimento de um cão, depois de um dia apareceu uma garotinha que aparentava ter seus 12 ou 13 anos perguntando: A dona do cachorro vai dar alguma coisa pra quem encontrar o cachorro? Respondi que sim, pois ela é muito apegada ao cão. Em seguida ela perguntou o endereço pra saber se ela ia dar dinheiro, pois ela tinha visto um cachorro igual nas proximidades da casa dela. Ou seja, ausência do espírito da generosidade. Aprender a aprender essas coisas são simples porque depende de nós do nosso querer, e não de estudar sobre isso. Parar e refletir sobre o que somos e qual é a nossa verdadeira missão enquanto vivos é importante. Sempre me questiono, mas quem está interessado nisso, quem se importa se tem algum propósito enquanto aqui na terra? Importante é vencer na vida, ganhar muito dinheiro. Não me importo se tenho parente que não vejo há muito tempo, não importa se há algum tempo eu não janto ou almoço com minha mãe. Importante é ter saúde, ganhar muito dinheiro e ser bem sucedido. Existem momentos que se faz necessário reavaliar e ver o que é preciso ser corrigido, e não ficar com pensamento de segunda mão, e isso é o que a maioria faz. Quantas vezes pensou por si mesmo? Para fazer compras, escolha de uma roupa ou até ir a algum local público. Sempre precisa de uma segunda opinião porque talvez você nunca tenha notado que nunca teve opinião, sendo assim você sempre vai fazer o que os outros querem que você faça. Assim somos na maior parte da nossa existência, movidos pelos palpites dos outros. Não quero dizer que ouvir uma opinião não é válido, claro que sim, o que estou questionando é a capacidade de escolha que temos e, às vezes, ficamos receosos com o que os outros vão pensar caso tome essa ou aquela decisão. Antes de tudo, precisamos aprender a aprendermos a ser nós mesmos. Viver é como um jogo existe uma estratégia, não se joga de qualquer jeito, não movemos uma peça para qualquer lugar. Simplesmente paramos e preparamos a melhor jogada. Para que possamos sair da mediocridade, que de fato estamos ao vivermos sempre na busca do material sem nos importarmos com o que realmente importa. Solidariedade não é só quando se faz necessário, porque agora a TV diz que você tem que ser solidário, mas depois que tudo se acalmar o discurso vai pra gaveta e volta à velha forma de existir, vencer, ganhar a qualquer custo. Enquanto a maioria não acordar e entender que podemos ser o que realmente somos o mundo em que vivemos vai piorar, porque pior do que está pode ficar e do jeito que vivemos, é certo de que vai.

Se podemos ser o que realmente somos o que somos então?


Essa é uma pergunta cuja resposta está na própria pergunta.

Laerte-se

Há muito já havia visto a divulgação do documentário da Laerte. Num primeiro instante não me chamou muito atenção por compreender o conte...