segunda-feira, 2 de março de 2015

Deseo part 1


“Quando te vi amei-te já muito antes. Tornei a achar-te quando te encontrei. Nasci pra ti antes de haver o mundo”

Fernando Pessoa.

Observação – Evitar qualquer ligação (sem análises) do conteúdo com a realidade.

...

Em nosso primeiro encontro visual você não me notou, meu olhar te perseguiu o tempo todo. A pergunta insistia de modo a incomodar-me: Quem é essa desconhecida? O que tem ela de especial a ponto de roubar-me a paz e total atenção?Continuei a segui-la com olhar, observando-a e estudando cada detalhe seu como se fosse à matéria escolar que mais amei e nunca tive. Seus gestos e linguagem corporal diziam mais que suas palavras. O fascínio tomou-me e não me contive, aproximei-me para observa-la mais de perto.
 
 Lá estava ela a minha frente – estatura média, olhos terrivelmente lindos, rosto simétrico – obra de arte do criador. Continuei e ler seus movimentos e sem qualquer cuidado coloquei-me em sua direção de modo a ser percebido. Notou-me e sutilmente lançou um olhar oceânico como quem já houvesse me notado muito antes sem que tivesse percebido. Olhar hipnótico, quando notei já estava próximo demais e não havia chance de fuga.

Ela: Diga menino...

Timbre de voz médio, doce, suave, calma e segura.
A ansiedade veio à tona e havia apenas um milésimo de segundos para não por tudo a perder. A resposta veio de imediato de modo a abrir espaço para um diálogo mais longo. Inseguro até então. Com uma dúzia de palavras ela extraordinariamente fez minha ansiedade desaparecer como num passe de mágica. Arrancou a insegurança que havia se instalado em mim devido à circunstância. 

Incrível, fascinante. Depois de algumas horas parecíamos separados por algum pormenor da vida. Diálogo intenso, como se não estivéssemos nos conhecendo, mas reconhecendo. Todas aquelas horas pareciam pouco para o tanto que tínhamos um para o outro. Decidimos então dar continuidade numa outra ocasião. Quando notei lá estávamos nós concentrados e interessados em nossas histórias.

Foram dias, meses de incessantes diálogos. Ela revelando-se cada vez mais intensa e interessante. De inteligência extraordinária, sutil e perspicaz. Domínio do vernáculo e organização de ideias de modo a provocar em mim cada vez mais desejo em ouvi-la e entender seu modo de vida. Dizem que quando passamos muito tempo no mesmo lugar, ele passa a fazer parte de nós. Foi uma questão de tempo. Quando me dei conta já havia brotado algo em mim, uma espécie de vício na alma, intratável.  

Continua ...

Laerte-se

Há muito já havia visto a divulgação do documentário da Laerte. Num primeiro instante não me chamou muito atenção por compreender o conte...