sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A Arte da Voz

De fato nossa voz é como nossa impressão digital, cada qual tem uma e na sua modulação. Voz parece, mas nunca será 100% ao de outro semelhante assim dizendo. Sou um amante de vozes, trabalho usando a voz e vejo um mundo fantástico. A voz é compreensível, sabemos através dela quando alguém está cansado, feliz, triste, alegre, com dor e etc. Existem milhares de milhares de vozes, e uma que marcou e marca minha vida com certeza é do eterno Newton Da Matta.



Acabei vendo o video novamente e fiquei pensando;
Voz linda esse cara tem, fantástico, quantos e quantos filmes não assisti acompanhado da voz do Newton. Uma pena não estar entre a gente mais.

Gabriel Pensador - Nunca Serão



Show!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

20 de Novembro



Estamos próximos do grande dia 20 de novembro, dia este que marca o dia da consciência negra. Aliás, o que seria consciência negra? Não sei ao certo do porque do nome consciência negra, mas acredito que deva ser em relação a toda nossa história. Dia de lembrar o quanto sofremos e coisa e tal. Ai você pode pensar: Pô, você é negro e não sabe muito sobre o dia da consciência negra? Se for pra lembrar a minha história apenas dia 20, não. O grande erro é acreditar que o dia 20 causa algum impacto na sociedade quando não causa. Vejo muita gente brigar pelo feriado do dia 20, pra que, para que no feriado seja apenas um feriado? Temos vários feriados, não que o dia 20 não seja importante, mas como ele é visto sem dúvidas é apenas mais um feriado. No dia 20, sábado, os negros vão marchar por algum objetivo, mas e depois do dia 20? Vão esperar o outro dia 20? É bem assim que funciona, assim não da pra acreditar na causa. Acredito que deva haver sim busca por oportunidades, inclusão e respeito. Mas tudo sempre vem com reclamação. Ao longo desta semana acompanhei uma discussão sobre um comercial de TV que foi questionado por não ter um neném negro, o bacana é que de um lado eu estava numa comunidade de pessoas que gostam de discutir sobre temas polêmicos e do outro uma comunidade de negros, adivinha? Odeio usar esse termo, mas pra ficar mais claro terei que fazer uso. Em uma comunidade o assunto sendo debatido por “brancos” e do outro lado por “negros”. “Negros” e “Brancos” tem a mesma visão, os brancos falam que os negros querem demais, e os “negros” dizem que os “brancos” não dão espaço. Ai você se pergunta, qual é a tal mesma visão. Um cara comentou que viu um CD de um grupo de pagode que não tinha nenhum branco na capa, que ele achava aquilo um preconceito, e ai? Por outro lado qual será o argumento dos negros? Que a empresa é racista e isso e aquilo, será mesmo? Uma verdade tem que ser dita. Em relação a tal mistura que o Brasil joga para os quarto cantos do mundo é uma farsa. Se o Brasil é essa mistura toda, onde está esse povo na nossa TV? Aí sim estou de acordo. Quando montam uma campanha para Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, sempre usam e abusão da mistura quando na nossa realidade essa mistura é apenas fictícia. É sempre a mesma balela de Pais multiracial, que isso e aquilo. Antes de continuar o papo tenho que fazer uma observação. Vejo muitos negros criticarem e dizerem que existe e de fato existe uma elite branca. E o Troféu Raça Negra é um evento que reúne o que? Todos tem acesso ao evento, todos os negros excluídos ou uma minoria que conseguiu chegar lá? Pra quem quiser pensar nisso está ai uma ótima pergunta. Acredito muito que se nós tivéssemos dado continuidade teríamos muito mais do que temos hoje. O grande problema é reclamar demais, não que já esteja bem e bom, quem reclama demais, esquece o objetivo principal, e acabam ficando presos a reclamações. Fico pensando, o Martin Luther King foi ouvido ou por ser muito chato ou por acreditar que era possível. O Michael Jordan e o Pelé devem ter chegado lá porque alguém os colocou lá e ainda disseram: Já que vocês são negros, deixaremos vocês serem os melhores. Não posso esquecer a Oprah Winfrey, o que posso dizer dela? Pelo menos aqui no Brasil sempre vejo ela retratada como a negra apresentadora, nunca apresentadora talentosa, mas sim a negra apresentadora. Nesse aspecto o valor de ser humano que devia vir antes de tudo foi para o ralo, e o que é mais importante, é sempre lembrar que somos "negros" e "brancos". Tenho uma dúvida, será que alguém vai ao cinema e pensa: O Wagner Moura é um belo ator, devia ser negro ou, o Will Smith é muito bom ator, devia ser branco, será que rola isso? Precisamos principalmente aqui no Brasil são de exemplos. Não temos exemplos, temos sempre o mesmo time atuando e quando alguém novo chega basta o tempo passar e nem parece que mudou, é assim muito rápido. Para incluir temos que mostrar que é possível. E temos que nos preparar para essa oportunidade. O pessoal que citei acima chegou lá não do dia pra noite, foi com muita garra, muita batalha e quem foi que disse que não vai acontecer? Quem disse que não é possível? Si estamos à procura de espaço temos que buscar esse espaço, tem que ter determinação, força de vontade e principalmente acreditar em nós mesmos. Esse discurso que estou vendo em várias comunidades é o discurso de museu, parece que nós negros vamos viver a sombra o sofrimento do passado. Não acredito que devemos apagar nada do que aconteceu, mas olhe onde estamos, será que alguma coisa mudou? Mudou, mudou por quê? E parar e ficar com a bunda no sofá de casa reclamando: Sou negro e ninguém faz nada por mim. Antes de ter suas oportunidades mereça. Mereça todas pelo mérito próprio, pelo teu caráter e profissionalismo. E principalmente sem ter a sensação de que está onde está beneficiado por ser negro. Será que o Obama é Presidente dos EUA por ser negro? Entendo essa sede de termos nossos representantes lá, mas isso gera guerra porque estamos dividindo o indivisível.
Não posso de maneira nenhuma chamar meus amigos de amigos brancos, porque eles nunca diriam que sou o amigo negro deles. Se alguém se refere a você como negro (no sentido diferente de nós), antes de tudo ele não é semelhante teu. E amigo meu amigo, é amigo.
O que realmente falta é consciência nas pessoas e não consciência negra. Essa luta não é simples, sei que com a gente é mais dura ainda, mas quem disse que é impossível?
A batalha está o inicio, vamos à luta.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Eu, o copo de vinho e algumas verdades.


Bom, antes de começarmos a falar sobre essas verdades, é necessário que você olhe pra dentro de ti e anule tudo que veio do lado de fora. O que está do lado externo é o menos importante quando falamos de nós mesmos, quando falamos do mundo real. Muitos acreditam que somos apenas uma experiência do externo para interno. Entende? Serei mais claro, imagine um copo vazio, esse seria nossa vida no inicio, e ao passar do tempo ao vivermos esse copo vai enchendo com essas experiências externas. Só que não somos apenas isso, se buscarmos na literatura encontraremos ensinamentos de séculos atrás onde pessoas já nos ensinavam viver o hoje. Uma prova mais que concreta que não chegamos vazios.

Por um instante esqueça todos teus pertences, tudo que seja material em sua mente. Pare, e sinta apenas você, o que você sente? Nada, estou correto? No inicio é assim mesmo, e sabe por que é assim? Porque o mundo exterior é tão cruel que domina sua mente e faz com que o que realmente exista de melhor em ti (que é você mesmo) fique escondido dentro de ti num lugar onde você mesmo guarda e quando precisa não consegue encontrar. Já sentiu alguém feliz pela simples existência? Já percebeu alguém com tão pouco feliz e você com tanto e se perguntou: O que eu fiz, por que eu não sou feliz? Antes de tudo é importante ressaltar que felicidade é um estado, e esse lance de que dinheiro e pertences trazem felicidade ou são capazes de te fazer feliz é pura balela. Tirando o dia das Mães dos Pais, quantas vezes você disse obrigado por existir, eu te amo, tenho orgulho de você, tenho saudades ou sentiu necessidade de deixar essa vida por alguns instantes para passar alguns momentos com teus Pais ou com os amigos. Ligou pra alguém que realmente é importante para você pra dizer diferença que essa pessoa faz na tua vida? Essas atitudes vêm de dentro, essas sim são reais. Um presente, um objeto é de fora para fora. Agora um abraço apertado um olhar sincero, verdadeiro, são coisas que vem de dentro. Um dia eu estava num evento onde milhares de pessoas foram rezar, eu observando cada movimento naquele ambiente, notei uma garota, devia ter lá os teus 22 anos, ela rezava e chorava tanto, logo pensei; Existe algo divino ali, algo que nunca senti algo real que está lá dentro. Encontrei uma definição para o que é real. É o mesmo que você receber uma carta em manuscrito e chorar ao ler e notar que alguém que há muito tempo não falava lembrou-se de você. Bem diferente de quando você ganha um presente, mesmo que esse seja um sonho. Qual foi a última reunião de família em que sentiu emoção em ver toda família reunida e pensou, que dia abençoado, estou ao lado das pessoas que mais amo na minha vida.

Fico pensando no amor...

Quantas garotas não choram e dizem. Eu te amo para um Justin Bieber/Luan Santana e nunca disseram. Mãe, eu te amo? Alguém pode vir dizer: Mas esse amor é diferente, mas como assim, amor diferente? Sentir amor por alguém que nem sabe da sua existência? Esse sim é o lado de fora, vazio, sem importância, que contamina o lado de dentro.
Dias atrás notei dois senhores conversando no estúdio da rádio, o entrevistado falava: Na minha época não tinha essas coisas de hoje. Era benção mãe, pai, tio, tia e senhor. Hoje, quem fala senhor? Na rua mesmo quando cumprimentava um jovem, era: Olá senhor, como vai, tudo bem?

Por essas e outras encontramos cada vez mais pessoas vazias. As pessoas desistiram do interior delas e valorizam o exterior porque é simples, mais fácil. Esqueceram que respeito e educação, vêm naquele pacote que disse no inicio. O que fazemos com esse conteúdo que já vem dentro de nós? Moldamos, aprendemos e evoluímos com ele.
Já é hora de voltarmos pra dentro de nós porque aos poucos estamos matando o que temos de mais importante e valioso em nós.

NOSSA ESSÊNCIA.

A existência precede e governa a essência. Durante a nossa existência, à medida que experimentamos novas vivências redefinimos nosso pensamento, adquirimos novos conhecimentos a respeito da nossa essência.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O Solista



Queria poder falar tudo que desejo sobre este filme, mas o melhor ainda é indica-lo. Quando tiver um tempo, assista. Não apenas assista, sinta está obra fantástica, daqueles filmes em que no final você sente algo diferente dentro de ti. É um filme que fala de amor em que se acredita, comprometimento, amizade, lealdade. De como podemos ajudar, transformar a vida de alguém sendo um amigo, ou uma companhia.
A condução fica por conta de Robert Downey Jr e Jamie Foxx. Downey Jr nem precisa de elogios, Jamie Foxx mostra o porquê mereceu o Oscar pelo filme Ray (baseado na vida do cantor Ray Charles). Show de interpretação de ambos, da pra sentir a química dos atores em cena. Emocionante, magnifico, verdadeiro.

Quero apenas deixar dois trechos que me emocionaram.

“Foi uma experiência incrível, tudo aquilo o dia todo. E se você tivesse visto ele, sentido ele. É algo tremendo, incrível, e eu fiquei olhando pra ele, e quando tocaram eu disse: Meu Deus tem algo superior aqui, ele vive nisso, eu nunca vivi algo assim, nunca vivi algo igual, eu mal posso dizer, nem sei como se chama. E estar lá com ele daquele jeito, e ver como ele se transporta, ele se entrega. Nossa, eu nunca amei nada na minha vida do jeito que ele ama a música”.

“Eu aprendi a dignidade em ser leal a algo em que se acredita, e se prender ao que se gosta. Acima de tudo acreditar sem pestanejar. Que é isso que levar você pra casa”.

Laerte-se

Há muito já havia visto a divulgação do documentário da Laerte. Num primeiro instante não me chamou muito atenção por compreender o conte...