terça-feira, 12 de abril de 2011

Nós por nós

Estava folheando o jornal, quando encontrei uma informação sobre um documentário que muito me interessava. Ao chegar da aula logo liguei a TV, e lá estava passando. Uma frase dita lá em 1968 me chamou atenção.

“O grande problema não são os brancos, não são maus tratos aos negros e nem a política. O grande problema somos nós. Enquanto fortalecemos o discurso, brancos contra negros e a política que não funciona. Enfraquecemos o nós podemos ser e fazer melhor do que isso”

De fato, esquecemos do nós por nós há séculos, o predominante é o individualismo, cada um por si, todos em busca de seus próprios interesses. Fazemos uso secundário da ferramenta mais poderosa que existe, nós. Como já havia dito em um texto anterior, nós não aceitamos que juntos somos o conjunto da obra mais perfeita. Existe uma frase clássica, pode até parecer clichê para alguns, mas ela reflete toda realidade.

“Juntos venceremos divididos cairemos”

O mundo no qual vivemos hoje não evoluiu no que diz respeito à ideias revolucionárias, estacionamos no tempo, estamos levando quase tudo na base de regras impostas por leis específicas. Não sou contra leis, sou contra o excesso de leis que não funcionam para nada. Tomemos como exemplo o trânsito, quantas leis não existem, e o que resolveu?

Certa vez assisti na TV uma matéria relacionada ao trânsito de uma cidade na Alemanha. A cidade de Bohmte resolveu abolir todos os semáforos, placas de trânsito e faixa de pedestres. A ideia vem de que motoristas e pedestres prestem mais atenção no que fazem. Claro que deve vir o pensamento, você está louco, isso nunca funcionaria aqui. Nunca mesmo, sempre fomos educados nesse formato e nunca vamos mudar porque acreditamos que precisamos de mais leis, mais regras. Muito se fala em andar de bicicleta, mas aqui no Brasil? Onde morre um motoqueiro a cada não sei quantos minutos? Se a gente parar um pouquinho para refletir, vamos entender que não adianta ficar criando lei, temos que entender que o trânsito real somos nós e não carros, caminhões e motos.


E a educação? Educação é fundamental em todos os sentidos, essa é a base para construção de uma sociedade mais justa, honesta e digna. Na minha época de colégio, nunca tivemos aula para entender como a política funcionava, quais os nossos direitos, mas aprendemos muito sobre nossos deveres. A respeito das crianças, ouvir mais à criança é necessário, muitas vezes não ouvimos e nem prestamos atenção, mas isso é muitíssimo importante. Sobre os Jovens eu vou mais longe, parem de tratar jovem como criança, eles sabem sim o que estão fazendo, eles não sabem as consequências causadas pelos seus atos. Estava conversando com uma criança no final de semana e falávamos sobre estudar. Perguntei qual aula ela mais gostava e por quê. Ela disse que gostava da aula de tudo, que a professora era muito legal. Perguntei qual ela menos gostava. Ela disse educação física; Disse: Mas educação física é legal, divertido. Ela disse: A Professora é muito chata, ela grita com a gente, pega no braço e fica apertando. Nem preciso dizer mais.

Quando tinha meus 13 anos, brincava de bete, soltava pipa e ficava atormentando os vizinhos fazendo bagunça. Hoje, sabemos que aos 13 os interesses são totalmente outros, devemos encarar, pois isso se chama realidade. Devemos nos informar mais, participar do mundo deles pra entender como funciona. Incentivar eles a se informarem, oferecer alternativas, esquecer um pouco os julgamentos, estou falando de participação ativa.

Observo que os Pais de hoje têm menos tempo para se dedicarem as suas famílias, estão lotados de trabalho e compromissos, por isso acaba não sobrando tempo. Ai, alguns descobrem que, sua filha está grávida, talvez usando entorpecentes, faltando às aulas da faculdade que muitos pagam com muito sacrifício. E a desculpa é sempre e a mesma; Eu ensinei tudo, ela (e) foi bem educada (o), mas o fato é que, educação não tem limite de tempo, é sempre necessário acompanhar, saber como as coisas estão. Então se você tem Pais que sempre ficam pegando no seu pé, agradeça, isso é muito importante.

Chegou a hora de entendermos que somos indivíduos, que não somos mercadorias, não somos carros, não somos roupas, não somos dinheiro. Somos a soma da capacidade que temos de entender, modificar o mundo e o adaptarmos de maneira que possamos viver bem e em paz. Podemos ter uma vida tranquila e saudável somente com o necessário, com aquilo que realmente utilizaremos. Fartura nesse aspecto tem apenas um nome, egoísmo. E é dentro desse mundo no qual vivemos hoje, o mundo egoísta. Vivemos querendo mais e mais e mais, não nos importamos com os outros, pois é assim que nos enxergamos. Pra ser honesto acredito nesse mundo, acredito que chegará o dia em que nos respeitaremos de verdade.


Assistindo aos debates que rolavam em torno do caso no Rio. Só tive certeza de uma coisa. A arma de fogo foi à invenção mais tola feita pelo homem.
Insistem em conduzir o mundo com esse formato falso, de maneira hipócrita criando falsas expectativas/visões no que diz respeito aos nossos interesses.
Vão criar mais regras relacionadas ao uso da arma de fogo novamente. Só usamos uma arma de fogo em casos de violência, e violência funciona, mas não resolve o problema, apenas gera mais violência.

Blog Music

Veja bem, tudo vai dar certo É só acreditar em quem Conhece o fim de perto Pra discenir cores vibrantes E enxergar o que não vi...