sexta-feira, 11 de março de 2011

O Tal do ATENDIMENTO

O que é um bom atendimento? Ir até o comércio de sua preferência conseguir comprar o que deseja voltar pra casa e missão cumprida? Não, não, não. Só que aqui em Paulo de Faria, ALGUNS comerciantes acreditam nesse papo furado. Para oferecer um bom atendimento é necessário antes de tudo saber o que é atendimento. Acredito que atendimento é algo simples e fácil. O primeiro pensamento é: Como você gostaria de ser atendido? Existe algo muito importante no atendimento que se chama SATISFAÇÃO, isso é quando o cliente vai ao determinado local seja lá para o que ele for fazer e sai com aquela sensação de que teve bons momentos naquele determinado local. E, sendo assim ele voltará e possivelmente vai indicar para amigos e conhecidos. Só que o problema é que existe um mau atendimento assustador aqui nessa cidade. Isso não é critica, mas algumas observações, pois alguns comércios aqui podem (e devem) ser mil vezes melhores no que tange atendimento. Esses comerciantes acham (isso porque eles realmente não sabem mesmo) que às pessoas estão indo lá porque precisam deles, erradíssimo, negativo. O cliente vai à busca de PRODUTOS ou SERVIÇOS, e cabe o senhor comerciante oferecer no mínimo um bom atendimento. Na última segunda feira (carnaval) não tinha GELO dentro da cidade após as 8 da noite, será que isso está correto? Amigos que vieram de longe pra curtir o carnaval ligando pra perguntar onde encontrar gelo. Uma cidade em pleno carnaval, você não encontrar um comércio que tenha um gelo pra vender, é muito desrespeito com o cliente. Fui comprar na noite do sábado para domingo cerveja em um determinado comércio na praça, e pedi um desconto na cerveja que estava 2,50, pois ia comprar grande quantidade, ouvi um sonoro NÃO. A minha vontade era mandar a puta que pariu. Advinha o que eu fiz? Isso mesmo, além de não comprar, falei pra todos que encontrava no caminho (compre em outro local). Comer então nem se fala, por favor, senhores comerciantes. NINGUÉM, mas ninguém na face da terra quer esperar quando tem fome. Carnaval com praça repleta de gente que vai sentir fome e obviamente vai procurar o estabelecimento pra comer, quando alguém diz: Acabou o pão! Como assim, como? INACEITÁVEL isso, de forma alguma pode acontecer, será que ninguém entende o ‘MELHOR SOBRAR DO QUE FALTAR’? E quando o atendente diz: Senhor vai demorar; Putz! É como se estivesse dizendo: Senhor, melhor ir comer na sua casa ou em outro local. Sem tirar o fato de que alguns comerciantes quando notam que tem muita gente, fazem cara feia. E faz mesmo, dou o meu salário pra quem disser que nunca notou uma cara feia no comércio aqui. É bem simples, a minoria vai comer na chegada e maioria na saída, ou seja, concentre-se sempre na saída, agora não quer, fecha mais cedo e vai dormir. Em Paulo de Faria cometem um erro absurdo, é sempre uma pessoa pra fazer tudo, notem, observem. O estabelecimento lotado, e uma pessoa fazendo lanche. Em uma chapa que cabe no máximo dois lanches. Pense comigo, será que sou muito ignorante? Investimento, melhoria, ninguém pensa, ninguém faz isso e tudo continua do jeito que está. Há alguns anos atrás estava num supermercado, quando na fila ouvi um casal comentar: “Saímos de Paulo de Faria já faz 10 anos e continua a mesma coisa, não muda nada. Olha o atendimento desse lugar, que vontade de deixar a mercadoria no chão e ir embora, viu” E assim a cidade que gosto vai remando contra a maré. No supermercado quando um caixa está parado por algum motivo que não tem explicação é irritante para o cliente. Se eles têm três caixas, por que usam dois? Será que um é de enfeite? Mesmo entendendo que é necessário ninguém gosta de fila e muito menos de esperar. Tudo poderia ser resolvido numa reunião organizacional, mas quem quer fazer algo melhor para cliente? Essas pessoas têm que entender que, o que difere o estabelecimento A do B é o atendimento, pois ambos vendem a mesma coisa. Na realidade eles se importam com dinheiro, com o quanto vai gastar, ora, o cliente sempre será mais importante que o seu dinheiro, pois quando ele sentir que foi bem atendido automaticamente vai voltar. Comerciante bom é aquele que fica atento ao atendimento, que sabe quando o cliente está ou não satisfeito, e NÃO aquele que nem liga com o cliente, que o trata como mais um que está comprando lá. O cliente é especial, é apartir dele que o seu negócio gira e funciona. Ninguém gosta de pessoas mal educadas, grossas, e olha que ainda não coloquei na lista o atendimento das repartições públicas. Vejo muitos locais que se intitulam AMBIENTE FAMILIAR, quando muita gente tem medo de levar à namorada/esposa ou filhos pra tomar um guaraná nesses locais. Ambiente familiar são outros quinhentos queridos comerciantes. Botem a cabeça pra funcionar e criem algo diferente, que faça com que o cliente se interesse. Converse, questione ou peça opinião. Particularmente muito me agrada quando sou questionando em relação ao atendimento ou se estou me sentindo à vontade, acredito que para todos seja da mesma forma.

Fiz o texto para que questionem o atendimento, tem que reclamar SIM, e o senhor comerciante tem que levar em consideração as reclamações dos seus clientes, pois se vamos lá gastar o nosso dinheiro, merecemos no mínimo um bom atendimento. Paulo de Faria não precisa ser uma metrópole, mas pode e tem condições de oferecer um atendimento mais justo e eficaz e, esse é o meu desejo. Fico triste quando vejo que alguém que morou aqui tem o espírito de porco de falar mal de onde nasceu. Pra mim quem não tem respeito e gratidão pelo seu berço não merece meu respeito. Fazemos a nossa parte reclamando e questionando, esqueçam as criticas, elas não servem pra nada.

Queridos comerciantes não façam pouco caso de quem garante o pão de cada dia de vocês, pois sem nós, vocês não seriam e não teriam nada.

Blog Music

Veja bem, tudo vai dar certo É só acreditar em quem Conhece o fim de perto Pra discenir cores vibrantes E enxergar o que não vi...